post-title Novembro Azul
 remete aos cuidados com a saúde do homem

Novembro Azul
 remete aos cuidados com a saúde do homem

Novembro Azul
 remete aos cuidados com a saúde do homem
Comunicação, Publicações

Dr. Lucas Lampert

Depois do Outubro Rosa, período dedicado à conscientização da mulher no combate e prevenção ao câncer de mama, ocorre a campanha “Novembro Azul”, para conscientização a respeito de doenças masculinas, com ênfase na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer de próstata.
Segundo recomendações da Sociedade Brasileira de Urologia e o Ministério da Saúde todos os homens a partir dos 50 anos devem realizar uma avaliação anual da próstata. Exceto os pacientes que se encontram nos chamados grupos de risco como: os que possuem familiar de primeiro grau (pai ou irmão) com histórico de câncer de próstata e os da raça negra, que devem iniciar este acompanhamento aos 45 anos de idade. Esta avaliação compreende um exame de sangue chamado PSA e o exame físico de toque retal, realizado no consultório de um urologista.
Segundo o urologista Lucas Lampert, médico graduado pela UFRGS, pós graduado com residência médica em cirurgia geral e urologia pelo Grupo Hospitalar Conceição, de Porto Alegre, membro da Sociedade Brasileira de Urologia e membro internacional da Sociedade Americana de Urologia, o câncer de próstata em seus estágios iniciais não apresenta sintomas. Eles surgirão apenas nos estágios mais avançados e podem variar desde dores leves e localizadas nas regiões pélvica e perineal, até dores mais intensas em qualquer localização óssea, principalmente coluna, costelas, fêmur e crânio.
Outros sintomas também asso- ciados são a hematuria (sangramento na urina), dificuldade para urinar, podendo evoluir para quadro de retenção urinária, necessitando do uso de sonda, dificuldades para evacuar, infecções, entre outros.
A próstata, como ele explica, é uma glândula, localizada entre a bexiga e o reto, responsável por produzir e armazenar alguns componentes do líquido seminal (esperma). O exame de toque é complementar para o diagnóstico do câncer de próstata e é realizado em uma avaliação inicial. Se estiver alterado a investigação prosseguirá com outros exames. “Para alguns, este exame ainda é um tabu, por falta de conhecimento, pois o mesmo é simples, realizado de forma rápida e indolor. Mas, percebo que existe uma tendência nos últimos anos de desmistificação do exame, uma vez que os homens estão mais preocupados com sua saúde,” aponta Lampert.

TRATAMENTO

Dentre as principais opções no arsenal terapêutico para o tratamento do câncer de próstata destacam-se cirurgia, radioterapia, braquiterapia e tratamentos hormonais. “O trata- mento irá depender do estágio do câncer no diagnóstico.”
As chances de cura dependem do estágio em que se encontra o cân- cer no diagnóstico. Para a doença localizada apenas na próstata as chances de cura se aproximam a 100%. Já para doenças em estágios mais avançados, como aqueles com metástases em outros órgãos ou nos ossos, a cura já não é mais possível e o tratamento se torna apenas paliativo.
Artigo do Caderno Saúde – entrevista com Dr. Lucas Lampert – Urologista

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *